19/12/2009

Ironias

Sabe do que me dei conta?

Eu fui pra PUC pra arranjar marido!!!!


Michel e eu nos conhecemos numa especialização em tradução na PUC-Rio. Quem diria que a feminista confessa iria para uma universidade para conhecer marido. Que ironia!

E tem mais: o Michel odeia carro, e foi um carro que mudou a vida dele. Explico: antes de ele começar a  especialização, ele ganhou um carro num sorteio. Com parte do dinheiro da venda desse carro, ele pagou o curso na PUC. Ou seja, o tal carro lhe impulsionou a profissão de tradutor e o permitiu conhecer a sua futura esposa. Mudou tanto a vida profissional quanto a pessoal. Para MUITO melhor, óbvio. :D

Grandes ironias do destino. Especialmente para um casal que não acredita em destino. kkkkk

(8) Isn't it ironic? Don't you think? A little too ironic... Yeah, I really do think (8)
Só espero que não tenha raaaaainnn on my wedding day.

17/12/2009

A 3a prova do vestido

A terceira prova do vestido foi tensa.

Começou com uma bronquinha sorridente que o estilista resolveu me dar assim que cheguei, pontualmente, no sábado. "Veio hoje porque não deu para vir ontem, né?" "Não, eu vim hoje porque estava marcado hoje."

Acontece que, já sabendo que me mudaria para São José dos Campos, tentei adiantar a prova de sexta-feira em uma semana. Não sendo possível para eles, adiei para o dia seguinte e enfrentei uma viagem de 6h para fazer a prova. Chego no Rio e ouço essa. Haja desorganização.

Quando a costureira me chamou para fazer a prova, já puxei logo o assunto dos bojos que faltavam. Adivinhem só, eles ainda não chegaram. A costureira deu a desculpa de que, por ser de tamanho grande, o bojo tem de vir de São Paulo, daí a demora. Só que eu fechei esse vestido em maio, e nada leva sete meses para fazer a ponte aérea, nem que fosse um bojo enorme para teta de elefanta. Claramente, esqueceram-se de fazer o pedido.

E mais: o vestido continuava apertado, sendo que eu não engordei, nem emagreci nada. Acho que resolveram não alargar ou não alargar o suficiente porque eles acham que vestido de noiva tem de ser justo. Como eu já tinha deixado claro que discordo, falei para alargarem de novo.

Para completar, o cetim, que fica por baixo da renda, estava  cheio de marcas de sangue. Conforme me explicou a costureira que fará o vestido de mamãe, costureiras de fato se machucam com agulhas e pinga sangue... mas nada que um paninho não dê jeito imediatamente. Apresentação em 1o lugar, né. Muito mais difícil tirar mancha de sangue seco. Mas isso será problema deles antes de entregarem o vestido para mim.

O caso é que, se o vestido estiver menos do que ótimo, terei de aceitar mesmo assim. Afinal, onde eu posso encontrar vestido 54 prêt-à-porter? Pois é, façam o que eles fizerem, vou ter de engolir. Por isso, só me resta esperar para que eles se acertem nos últimos do 2o tempo.

No entanto, para ser bem honesta, ando calma com o casamento e, neste exato instante em que escrevo, até com o vestido. Tô numa de deixa a vida levar... (Só quero ver em janeiro, kkkk.)

15/12/2009

O terno do noivo

Devido ao calor que deve estar no dia 6 de fevereiro às 18h30, queria o noivo de terno levinho, sem colete e, de preferência, num tom de cinza.

Não é que consegui convencê-lo sem muito esforço?

Fomos à TNG do CenterVale (leia-se CenteRRRVale, com aquele R do interior de São Paulo) e compramos um costume lindo, cinza médio, risca de giz em branco, super-hiper leve e gostoso ao toque. Ainda não nos decidimos quanto à camisa e à gravata, mas deve ser uma em rosa claro, combinando com o mini-buquê que ele levará na lapela, e a outra em prata. Juntando os Dicionários inovando em traje do noivo! ;)

Agora já pude enviar o e-mail para a Cris Dias, que fará nossos noivinhos, com a indumentária do casal. (Aliás, atenção, noivas: hoje, dia 15/12/09, a Cris só tem vaga para o fim de 2010. Para ter os meus em fevereiro de 2010, tive de fechar em MAIO de 2009. Corram!!!)

Enfim, só me resta decidir a roupa dos padrinhos e pais. Estou pensando em deixar livre... Um deles já tinha comprado um terno preto para o casamento, e estou me decidindo por todos irem de terno preto sem risca e camisa branca ou rosa claro, pronto acabou. Já tem a uniformização na flor da lapela, e de repente a gravata possa ser igual para todos. O que vocês acham? Vão ficar mais chiques que o noivo por estarem de preto? Ideias, por favor! Podem criticar mesmo. Melhor agora, que depois. kkkkk

P.S.: Não é que a Ju já tinha publicado um post com a mesma dúvida?

13/12/2009

Novidades em três partes

NOTÍCIAS DOS SUMIDOS:
O planejamento do casamento anda meio jingle bells, mas nem é tanto pelo Natal, não. Acontece que fui finalmente convocada pelo concurso e, desde o dia 1o de dezembro, estou trabalhando aqui em São José dos Campos. Isso quer dizer vida em hotel, com internet lenta, buscando apartamento, tentando me entender com o sistema de transporte público de uma cidade que foi feita para carros, me arrumando com roupas tiradas da mala e passadas na hora, esses improvisos... Por outro lado, tô ouvindo "seja bem-vinda à FAB" dez vezes por dia, chiquérrima, andando 25 minutos para chegar ao trabalho por um bosque lindo com um lago maravilhoso (isso quando não chove, o que tem estado difícil de acontecer), comendo café de hotel, fazendo um trabalho que tem tudo de bom, vivendo com ele desde já... essas compensações duradouras pelo incômodo temporário.

O lado negativo é que o Blogger é bloqueado no trabalho, então só consigo ler alguns blogs no Google Reader -- e isso se o chefe dá uma folguinha -- mas não consigo comentar.


LISTAS DE PRESENTE:
Voltando ao assunto do blog, já deu erro com a lista na Ponto Frio, que permitiu que dois convidados comprassem o mesmo micro-ondas, e isso porque as compras foram efetuadas com dias de diferença. Além disso, eles têm cobrado frete de alguns convidados, o que acho um absurdo enorme.

Também tivemos dúvidas com a lista na Camicado e, depois de muito tentarmos atendimento, desistimos dessa loja.

Abrimos lista na Tok & Stok e, adivinhem o quê, sumiu a bostinha da lista toda. Mas, desta vez, o atendimento posterior foi bom e, dada a falta de opções de lojas do Rio que entreguem aqui, resolvemos dar mais uma chance. Estamos cuidando disso neste fim de semana.

É legal ver os presentes chegando e ajudando a montar a casinha, mas, pelo menos por enquanto, isso de lista de casamento tem sido mais dor de cabeça do que alegrias, vou te enganar não. Por isso, acabamos ficando só com duas lojas. Isso restringe as escolhas dos convidados, mas, fazer o quê, até a Raquel Presentes resolveu atrapalhar a vida e fechar a loja da Tijuca e a da Barra, os dois bairros com mais convidados.


MAIS PLANEJAMENTO:
Temos entregado os convites aos poucos. Devido à situação interurbana do casal, muitos estão indo pelos Correios, e eu tô morrendo de medo de esses convites extraviarem por conta da época de festas.  (Aliás, diquinha do coração: só se casem em fevereiro se, como Michel e eu, não houver outra opção. Ó, que eu já xinguei esse mês, hein! Mas era casar no início de fevereiro ou casar sem meu irmão presente, e a segunda não alcançava o status de opção.)

Pior que eu nem tenho o endereço de todos os convidados... E toca a pedir e esperar resposta num mês que é atribulado pra todo mundo.

Que mais? Ah, tem uma notícia bem legal da checklist, mas este post já está muito comprido. Deixemos para depois.